No capítulo (*) 019, quarta-feira, 05 de junho – José consegue segurar o guarda para Azenate fugir. Os presos ainda tentam, mas não conseguem capturá-la. Seneb não entende porque José trata sua ferida. Ele fica admirado com a pureza do hebreu. José inicia uma limpeza em seu alojamento. Inicialmente os presos estranham, mas logo tratam de ajudar. Furtiva, Bila entra na tenda de Ruben. Ela dá a entender que ainda o ama, mas não assume. Naamá vê Bila deixando a tenda e fica arrasada. José coordena os trabalhos na cadeia. Todos os presos começam a respeitar o hebreu. O tempo passa. Apesar de não estar muito feliz, Diná se casa. José serve uma comida deliciosa para Seneb, ainda em recuperação. Ele se impressiona com a inteligência de José, que organiza a prisão. Sati se irrita com seu jardim, que fica horrível, e decide questionar Hapu. Cansado de tantas humilhações, ele afirma que não se submeterá a mais nada e ameaça revelar para Potifar que já se deitou com Sati. Emocionada, Diná se despede de seus familiares e parte com o marido. Seneb se recupera e fica impressionado com a organização do local. Ele torna José responsável por tudo. Durante a festa, Onã discute com Tamar e a agride. A briga chama a atenção de todos. Jacó e Lia decidem se aproximar, mas antes que consigam chegar, Onã se engasga com seu alimento e morre nos braços do pai, Judá. O Faraó começa a se servir em um banquete. Ele percebe que seu pão tem pedras e o vinho possui moscas. Apópi acredita que é desleixo de seus servos. Potifar manda Nekau e Thot para a prisão. Elisa culpa Tamar pela morte de seus filhos. Potifar leva os egípcios até a prisão e fica admirado com a organização do local. Seneb dá todos os créditos a José, que faz uma oração e não os vê. Potifar sente a falta do hebreu, mas se mantém altivo. Algo faz barulho e José se vira. Ele pergunta a Potifar se poderá ser libertado. Potifar diz a José que não irá libertá-lo. Como não existem celas separadas, ele decide que os novos presos ficarão no quarto de Seneb, por serem oficiais do Faraó, até que a sentença seja dada. O carcereiro não gosta, mas disfarça. Elisa decide atacar Tamar, mas as outras mulheres conseguem contê-la. Lia afirma que Elisa é a verdadeira culpada pela morte dos filhos por nunca ter dado limites aos dois. Sati vai entrar em sua piscina quando vê Hapu submerso. Ele não aceita mais ordens e exige uma massagem, caso contrário, contará a Potifar tudo o que viveram juntos. O comandante fica surpreso ao ver a organização na pedreira. Depois que José se afasta, Potifar se arrepende de ter mandando o hebreu para a prisão. O Faraó pede para anunciar a todo o Egito que no dia de seu aniversário escolherá duas pessoas que precisam de sua benevolência. Uma que será executada e a outra perdoada. Thot odeia a comida da prisão e joga tudo no chão. O padeiro faz questão de criar caso, mas José se mantém paciente. Seneb chega atraído pela confusão e por pouco não estala o chicote em Thot. José acalma o carcereiro. Seneb afirma que chegou uma visita. Sati massageia Hapu quando Potifar chega. Por pouco ele não vê o servo, que é empurrado na água. Potifar estranha o comportamento da esposa e entra em casa, achando que ela esconde um amante. Sati pede que Hapu saia e vai atrás do marido. É Mitri quem visita José. Ele revela que conhece Sati e sabe que ela é culpada. Mitri afirma que Potifar também sabe, mas a situação é difícil para ele. José pede que o escriba ajude Azenate. Elisa diz a Judá que não dará Selá para Tamar. Ela diz que a jovem não poderá continuar por ali. Tamar ouve o fim da conversa e pergunta se será expulsa.