No capítulo (*) 020, quarta-feira, 12 de junho – Seneb não entende porque José trata sua ferida. Ele fica admirado com a pureza do hebreu. José inicia uma limpeza em seu alojamento. Inicialmente os presos estranham, mas logo tratam de ajudar. Furtiva, Bila entra na tenda de Ruben. Ela dá a entender que ainda o ama, mas não assume. Naamá vê Bila deixando a tenda e fica arrasada. José coordena os trabalhos na cadeia. Todos os presos começam a respeitar o hebreu. O tempo passa. Apesar de não estar muito feliz, Diná se casa. José serve uma comida deliciosa para Seneb, ainda em recuperação.

Ele se impressiona com a inteligência de José, que organiza a prisão. Sati se irrita com seu jardim, que fica horrível, e decide questionar Hapu. Cansado de tantas humilhações, ele afirma que não se submeterá a mais nada e ameaça revelar para Potifar que já se deitou com Sati. Emocionada, Diná se despede de seus familiares e parte com o marido. Seneb se recupera e fica impressionado com a organização do local. Ele torna José responsável por tudo. Durante a festa, Onã discute com Tamar e a agride. A briga chama a atenção de todos. Jacó e Lia decidem se aproximar, mas antes que consigam chegar, Onã se engasga com seu alimento e morre nos braços do pai, Judá. O Faraó começa a se servir em um banquete. Ele percebe que seu pão tem pedras e o vinho possui moscas. Apópi acredita que é desleixo de seus servos. Potifar manda Nekau e Thot para a prisão. Elisa culpa Tamar pela morte de seus filhos. Potifar leva os egípcios até a prisão e fica admirado com a organização do local. Seneb dá todos os créditos a José, que faz uma oração e não os vê. Potifar sente a falta do hebreu, mas se mantém altivo. Algo faz barulho e José se vira. Ele pergunta a Potifar se poderá ser libertado. Potifar diz a José que não irá libertá-lo. Como não existem celas separadas, ele decide que os novos presos ficarão no quarto de Seneb, por serem oficiais do Faraó, até que a sentença seja dada. O carcereiro não gosta, mas disfarça. Elisa decide atacar Tamar, mas as outras mulheres conseguem contê-la. Lia afirma que Elisa é a verdadeira culpada pela morte dos filhos por nunca ter dado limites aos dois. Sati vai entrar em sua piscina quando vê Hapu submerso. Ele não aceita mais ordens e exige uma massagem, caso contrário, contará a Potifar tudo o que viveram juntos. O comandante fica surpreso ao ver a organização na pedreira. Depois que José se afasta, Potifar se arrepende de ter mandando o hebreu para a prisão. O Faraó pede para anunciar a todo o Egito que no dia de seu aniversário escolherá duas pessoas que precisam de sua benevolência. Uma que será executada e a outra perdoada. Thot odeia a comida da prisão e joga tudo no chão. O padeiro faz questão de criar caso, mas José se mantém paciente. Seneb chega atraído pela confusão e por pouco não estala o chicote em Thot. José acalma o carcereiro. Seneb afirma que chegou uma visita. Sati massageia Hapu quando Potifar chega. Por pouco ele não vê o servo, que é empurrado na água. Potifar estranha o comportamento da esposa e entra em casa, achando que ela esconde um amante. Sati pede que Hapu saia e vai atrás do marido. É Mitri quem visita José. Ele revela que conhece Sati e sabe que ela é culpada.

No capítulo (*) 021, quarta-feira, 19 de junho – Judá e seus irmãos chegam. Ruben se descontrola e parte para cima de Simeon. Depois de ser separado de seu irmão mais velho, Simeon mente que descobriu que José morreu depois de obrigar Jetur a falar. Enquanto ensina Benjamin a lidar com um animal, Jacó avista alguém se aproximar do acampamento. É Diná, que chega com as roupas rasgadas e a boca seca. Aos prantos, ela cai nos braços do pai. Selá encontra o pai e o leva até Elisa. Depois de pedir perdão, Diná revela que fugiu de seu marido porque não quer ser uma mulher casada. Bila se assusta quando Lia a confunde com Naamá. Após uma triste despedida, Elisa morre nos braços de Judá. Ele grita, abraçado ao corpo de sua falecida esposa. Simeon diz a Levi que José vive. Atormentado, ele pede para ficar sozinho. Diná diz ao pai que fugiu porque não conseguia ser tocada por seu marido. Lia chega à tenda, mas não reconhece a própria filha. Sem convicção, ela tenta fingir que conhece a jovem, mas depois de abraçá-la, Lia tem um lampejo de reconhecimento e se lembra. Depois de receber uma cesta de mantimentos das mãos de Mitri, Azenate fica sabendo que Pentephres voltará para o aniversário do Faraó. Após três dias, Thot e Nekau são levados até a presença do Faraó. O padeiro se desespera. Quando sai da cadeia, a dupla passa por José. O hebreu pede a Nekau para não esquecê-lo quando falar com o soberano do Egito. Simeon se aproxima do poço em que José foi jogado. Abalado, ele encontra o colar de seu irmão, que havia caído na ocasião. Levi chega e estranha, mas Simeon não dá o braço a torcer. O Faraó perdoa Nekau e pune Thot, exatamente como José havia anunciado. Seneb fica impressionado com a precisão das palavras do hebreu. Sati revela para Tany que está sendo chantageada por Hapu. Jacó chama Diná para dizer que seu marido chegou ao acampamento. Em trapos, Azenate chega ao aniversário do Faraó. Apoiada nas leis de sua sociedade, ela pede um julgamento para ter a chance de se defender. O soberano do Egito decide dar-lhe a oportunidade. O marido de Diná afirma que ficará no acampamento de Jacó caso ela não queira retornar para sua terra. Azenate se defende durante o julgamento. Quando consultado pelo Faraó, Pentephres age estranhamente. Dúbio, ele acha que sua filha deve ser perdoada. Apopi decide livrar Azenate de qualquer punição. Ele exige também que todas as acusações contra ela sejam esquecidas. A jovem se emociona e abraça o pai. Pentephres diz ao pé do ouvido da filha que nunca a perdoará. Ele revela que só a salvou para lavar a própria honra e destaca que jamais permitirá sua felicidade ao lado de José. Pentephres afirma que mandará matar os dois, caso se encontrem novamente. Dois anos se passam. O Faraó tem um pesadelo. Assustado, ele afirma que precisa de alguém que possa interpretá-lo.

No capítulo (*) 022, sexta-feira, 21 de junho – Mitri afirma que Potifar também sabe, mas a situação é difícil para ele. José pede que o escriba ajude Azenate. Elisa diz a Judá que não dará Selá para Tamar. Ela diz que a jovem não poderá continuar por ali. Tamar ouve o fim da conversa e pergunta se será expulsa. Lia confunde Benjamin com José e se descontrola. Judá decide que Tamar deve voltar para a casa dos pais até que Selá cresça. Elisa insiste em não permitir. Potifar surpreende Mitri preparando alguns mantimentos. Sem saída, o escriba confessa que ajudaria Azenate. Irritado, Potifar recolhe tudo. As mulheres tentam acalmar Lia, que se descontrola ainda mais com Benjamin, confundindo-o com José. Jacó chega a tenda e Lia não entende muito bem o que fazia. Ela o acompanha para fora dali. Potifar leva a cesta para Azenate. Ela se emociona. Enquanto se alimenta, ela diz ao comandante que Sati mentiu. Potifar fica em choque. Perturbado, ele afirma que não tem provas para acusar a esposa e decide se afastar. Enquanto caminha por Hebrom, acompanhado por Levi, Judá avista Jetur negociando e se aproxima. Como o comerciante fazia alguns roubos no mercado, ele se assusta ao ver alguém chegando e decide correr. Os irmãos perseguem Jetur, que tenta fugir como pode. Selá se preocupa com Elisa, que não come há dias. Judá e Levi alcançam Jetur e perguntam por José. O comerciante pede vinte ciclos de prata em troca de informações, mas os dois não têm essa quantia. Durante a noite, Nekau sonha com o Faraó, enquanto Thot tem um pesadelo. Judá conta a Simeon e Ruben o que Jetur pediu em troca de informações sobre José. Simeon é contra, mas Ruben fica ao lado de Judá e concorda que devem seguir com o plano. Quando fica sozinho com Levi, Simeon afirma que precisam encontrar Jetur para matá-lo. Pela manhã, Nekau e Thot falam sobre seus sonhos quando José chega. Nekau conta o que viu e José interpreta, dizendo que o Faraó irá libertá-lo em três dias. Decidido a dar algo em troca, o copeiro pergunta como pode agradecer. José pede que seu nome seja lembrado quando falar com o Faraó. Ranzinza, Thot se interessa pela interpretação e conta seu pesadelo. José afirma que o padeiro morrerá em três dias. Descontrolado, Thot começa a machucar a garganta de José com a faca. Seneb chega de repente. Thot se assusta e afrouxa um pouco, o suficiente para José se desvencilhar. Seneb pede que José se afaste e segura o padeiro. Thot fica com medo quando Seneb afirma que Potifar poderá saber de tudo. Ele promete se comportar. José diz a Seneb que tem o dom da interpretação dos sonhos. Ele afirma que Thot realmente morrerá. Muito debilitada, Elisa conversa com Selá em tom de despedida. Ela pede que o filho traga Judá. Levi distrai Judá e Ruben enquanto Simeon encontra Jetur. Depois de ser apunhalado, o negociante consegue apenas dizer que José ainda vive.